Meu passado me condena?

Você já parou para pensar quais critérios você usa na hora de escolher um(a) parceiro(a) amoroso(a)? O que torna alguém atraente? E o que será que nos leva a querer ter algo mais sério com alguém?


Ao contrário do que algumas pessoas acreditam, pesquisas científicas vêm mostrando que não fazemos essas escolhas de maneira aleatória!


Estudos realizados, principalmente, a partir da perspectiva evolucionista têm nos proporcionado conhecer melhor quais são os critérios utilizados por homens e mulheres na hora de escolher seus parceiros, sejam para relacionamentos de curto ou longo prazo.

Segundo a Teoria do Investimento Parental de Trivers (1972), a escolha de parceiros amorosos tem a ver, entre outras coisas, com a importância da reprodução e descendência, ou seja, dos filhos. Acredita-se que mulheres que procuram companheiros pensando em ter filhos buscam evidências maiores de investimento por parte do homem, investimento afetivo, de tempo, de recursos, e, por isso, levam mais tempo para se sentirem seguras e se envolverem em relações sexuais. Teoricamente, o maior investimento de tempo antes da relação evidencia que ele também investirá mais tempo e recursos nos filhos e na família, por exemplo. Já os homens que tem o desejo de investir em uma família, procuram parceiras com potencial para tal, e tendem a desejar relacionamentos de longo prazo, aonde a parceira demonstre exclusividade sexual, fidelidade e compromisso seguro. Assim, dedicam mais tempo para avaliar o relacionamento antes de se envolverem sexualmente, pois, dessa forma, não correm o risco de investir seu tempo e seus recursos em um relacionamento "sem futuro".


"A Influência do Número de Parceiros Sexuais na Atratividade de Homens e Mulheres"

A pesquisa foi respondida por 395 pessoas com idade entre 18 e 35 anos, de todos os estados do Brasil.

Cinco grupos com diferentes imagens e informações foram elaborados para essa pesquisa e os participantes deveriam responder, em uma escala de 0 a 10, o quão atraente eles se sentiam pela pessoa da foto e o quanto eles estariam dispostos a entrar em um relacionamento sério elas. Além disso, cada foto tinha uma descrição fictícia do personagem informando o número de parceiros sexuais que cada personagem teve no passado (conforme exemplo abaixo).



Os resultados da pesquisa indicaram que a avaliação da atratividade e da desejabilidade para compromisso amoroso, tanto de homens quanto de mulheres, foi influenciada pelas informações fornecidas sobre o histórico de parceiros sexuais. O número de parceiros sexuais afetou, principalmente, as percepções dos participantes sobre o desejo de estabelecer um compromisso de longo prazo, ou seja, quanto maior era o número de parceiros sexuais dos personagens, menos desejáveis para um relacionamento sério eles eram (segundo as avaliações dos participantes),



Segundo esse estudo, o número de parceiros sexuais que uma pessoa já teve interfere mais fortemente no quão desejável ela é para estabelecer um relacionamento sério do que na atratividade em si. Assim, homens e mulheres podem se sentir fortemente atraídos por alguém, mas não estar dispostos a investir em um relacionamento sério com ela, dependendo do número de parceiros que a pessoa teve ao longo da vida.




Na busca de relacionamentos de longo prazo, quanto mais parceiros sexuais o indivíduo teve no passado menor foi o desejo dos participantes em estabelecer um compromisso amoroso, mesmo que ainda se sentindo atraídos pelos personagens. Esse resultado pode estar ligado à relevância da exclusividade sexual e à evidência da possível infidelidade por parte de indivíduos com um grande número de parceiros sexuais retomando a importância do investimento esperado no relacionamento, filhos e família.


Os critérios de atratividade e escolha de parceiros dependem de muitas variáveis e envolvem muitas outras questões que precisam ser investigadas e estudadas, como a paixão, autoestima, idade, entre tantas outras. O objetivo dessa pesquisa foi, principalmente, investigar a importância e influência que o histórico sexual de alguém pode ter e, assim, trazer a tona discussões sociais e até biológicas.


Se você quiser saber melhor sobre os conceitos e métodos realizados nesta pesquisa, fique à vontade para entrar em contato com a autora do estudo, nossa pesquisadora Thainá Ferraz de Carvalho - thainaferraz.c@gmail.com.






Como citar este texto:

Carvalho, T. F. (2019). Meu passado me condena? [Blog post]. Retrieved from https://www.l2ps.org/post/meu-passado-me-condena


134 visualizações

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Rua Marquês de São Vicente, 225, Gávea
Rio de Janeiro, RJ - Brasil - 22451.900

+55 21 3527.2080

  • Facebook ícone social